Esse é o lado da história da minha doadora

Há quatro anos…

No dia 28/03/12 fui internada no INCA no Rio de Janeiro para a coleta da medula óssea.

Antes disso…

Recebi um telegrama no dia 01/12/11 onde havia uma mensagem do REDOME para que eu entrasse em contato com urgência. Ao ligar, soube que alguém precisava da minha doação. Havia a compatibilidade. Sem pensar duas vezes respondi que sim, faria a doação.

Antes disso…

Em 2010, meu irmão mais velho começou a fazer hemodiálise, os dois rins não funcionavam mais. Somos nove irmãos, no primeiro exame para saber quem poderia doar um rim para ele, eu fui compatível praticamente 100%. Começamos a fazer os exames para a doação. Tudo pronto, mas ele não quis fazer o transplante, resolveu esperar um pouco mais. Ele me incentivou a fazer a doação de medula óssea, porque para ele, essa pessoa precisava mais de mim do que ele e que quando Deus quisesse chegaria à vez dele.

Fui ao Rio, passei por uma entrevista onde recebi todas as explicações a respeito da doação. Segura do que deveria fazer marcamos os exames. Após os exames de praxe, no dia 28/03/12 foi feito o procedimento da coleta da medula óssea. Não senti nenhuma dor, senti apenas um incomodo no local que logo foi resolvido com uma medicação. No dia 29/03/12 recebi alta e sai do hospital caminhando. No dia 30/03/12 voltei de ônibus para minha cidade com minha irmã e a viagem foi super tranquila. Pouco tempo depois já estava trabalhando. Vida normal, vida que segue.

No dia 29/04/15 fui internada novamente no Hospital do Rim em São Paulo para a doação do rim para meu irmão. Quase um ano se passou e estou bem, trabalhando, viajando, vivendo a vida intensamente.

Para aqueles que por alguma razão temem fazer a doação da medula óssea ou de um órgão, deixo a seguinte mensagem:

Não fiquem com receio, confiem em Deus, façam à doação, a chance que essas pessoas têm de encontrar um doador compatível é de uma em 100.000. Essa doação não irá impossibilitar ninguém de seguir sua vida. Ao contrário, o bem que você recebe é maior que qualquer coisa que você possa imaginar.

Doe, sem dor, doe com amor.

Meu nome é Margarete Batista de Morais, sou doadora voluntaria de medula óssea.

Anúncios